sábado, 14 de maio de 2011

Estudo das obras fundamentais do Espiritismo

 

Estudo das obras fundamentais do Espiritismo

Geraldo Campetti Sobrinho

   
A leitura atenta e o estudo continuado das obras fundamentais do Espiritismo sempre renovam nossa oportunidade de aprender. Dão a impressão de que estamos diante de um con teúdo inédito, quando nos certificamos, após algum tempo, de que já o havíamos lido anteriormente. Isso decorre, em nosso entendimento,de duas razões principais: a constante atualização dos conteúdos doutrinários expostos na obra básica da Codificação Espírita, isto é, o conteúdo espírita organizado na obra kardequiana foi, é e continua sendo atual; e a oportuna necessidade de atualizarmos nosso entendimento acerca da mensagem evangélica pelo salutar hábito do estudo, ou seja, precisamos “atualizar”nossa ignorância, buscando novos conhecimentos, cujos assentamentos encontramse, sem exceção, nas inamovíveis bases definidas no arcabouço doutrinário.
    As orientações seguras advindas da Espiritualidade superior nos recomendam que dediquemos pelo menos 15 minutos diariamente à leitura de alguma obra de Allan Kardec.
    Esse contato diário com a obra básica, que compõe o Pentateuco Kardequiano (O Livro dos Espíritos, O Livro dos Médiuns, O Evangelho segundo o Espiritismo,O Céu e o Inferno e A Gênese), somandose Obras Póstumas,O Que é o Espiritismo e a extraordinária Revista Espírita (18581869), certamente nos colocará a par da sabedoria espiritual e da genialidade de Kardec ao ensejar que tais ensinamentos renovadores fossem materializados na Terra para acesso de todos nós, trabalhadores e aprendizes da última hora.
    O estudo possibilita ampliar a visão e o entendimento, a reflexão e a prática, sobre tudo o que nos sensibiliza as percepções, dilatando gradativamente a nossa capacidade de compreensão, “a zona lúcida”, conforme expressão do estudioso francês Paul Gibier.
  O estudo espírita pode ser individual, num processo persistente de autodesenvolvimento, e coletivo, quando nos predispomos a integrar algum grupo interessado em propósitos semelhantes de reunião e aprendizado, pelo compartilhamento de lições e experiências.
    Ambas as tipologias de estudo, individual e coletivo, exigem planejamento, disciplina e organização do proponente à compreensão da Mensagem Divina à luz do Espiritismo.
   Para o estudo individual, alimentemo-nos de boa vontade, separemos um tempo diário de pelo menos 15 minutos, e iniciemos com o propósito firme de ir adiante. No início, há que se vencer algumas resistências naturais. Depois,torna-se mais fácil. Para o estudo em grupo, as casas espíritas ofertam várias possibilidades, aproveitando-se do material de excelente qualidade disponibilizado ao Movimento Espírita pela FEB. São os programas do Estudo Sistematizado, do Estudo Aprofundado, do Estudo e Educação da Mediunidade, de cursos específicos sobre as obras da Codificação e de algumas publicações subsidiárias.
    Oportunidades de estudo e aprendizado não faltam. O que às vezes falta é nossa boa vontade de estudar e aprender.
   Que tal enriquecermos nossa trajetória presente, aproveitando a oportunidade de educação espiritual, propondo-nos à efetiva renovação íntima pelo exercício dos excelsos  mandamentos recomendados pelo Espírito de Verdade: amai-vos e intruí-vos?!


Referências

GIBIER, Paul. Análise das coisas: ensaio sobre a ciência futura e sua influência certa sobre as religiões, filosofias, ciências e artes. Trad. T. 6. ed. Rio de Janeiro: FEB, 2009. Cap. 2. KARDEC, Allan. O evangelho segundo o espiritismo. Trad. Guillon Ribeiro. 129. ed. 1. reimp. Rio de Janeiro: FEB, 2010. Cap. 6, it. 5.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

A caridade não brilha unicamente na dádiva. Destaca-se nos mínimos gestos do cotidiano.

Emmanuel

Postar um comentário